CAMPINAS – VEREADOR EX-PM APONTA IRREGULARIDADES NA ADMINISTRAÇÃO JONAS DONIZETTE

Prefeitura de Campinas - Foto Google

 

 

Segundo ele, medidas de transparência tinham poucas chances de avançar numa cidade onde membro de uma facção criminosa chegou a atuar numa sala ao lado do prefeito no 4º andar do Palácio dos Jequitibás.

 

Ex-policial militar da Rota, BAEP e Força Tática, o vereador de Campinas,  Tenente Santini causou um ” incêndio moral ” na Câmara de Campinas na sessão da ultima quarta-feira (20/06), ao discursar na tribuna. Durante a  discussão sobre a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), o vereador  não poupou acusações diretas ao  prefeito Jonas e sua administração e ainda  levantou suspeitas sobre a conduta dos colegas vereadores.

Para ele, cuja bandeira principal é a segurança publica, medidas de transparência tinham poucas chances de avançar numa cidade onde um membro do crime organizado  chegou a atuar numa sala ao lado do prefeito no 4º andar do Palácio dos Jequitibás. Com folego, apontou que, no serviço público teve e tem “estelionatários, ex-ladrões de banco e falsificadores”.

Santini disse ainda, que na prefeitura, há venda de alvarás,  habite-ses e licenças”. Finalizou dizendo que ” políticos foram eleitos em Campinas com dinheiro do crime organizado”, e que o Prefeito e sua base na Câmara Municipal não tem interesse em combater essas praticas.

A base do governo Jonas ficou revoltada e foi para cima do vereador. O líder do governo na Câmara, vereador Marcos Bernardelli (PSDB) pediu a gravação da sessão e encaminhamento da integra do discurso de Santini à Corregedoria da Câmara,  que pode abrir processos por quebra de decoro contra parlamentares e que podem resultar na cassação do mandato.

Já o vereador Paulo Galtério (PSB), saiu em defesa do executivo. “Se ele sabe que houve roubo e o que foi roubado, a obrigação dele é dizer quem foi”. “Ele tem obrigação de denunciar. De dar os nomes”, “Pare de falar e escreva! Vá no Ministério Público e denuncie, disse. O que não pode é colocar todo mundo sob suspeita”, finalizou o parlamentar que é da base do Prefeito Jonas Donizette.

Ainda no contra ataque ao discurso de Santini, o vereador Zé Carlos Silva (PSB) que também faz parte da base do Prefeito, acrescentou: “Um vereador não pode subir na Tribuna e falar o que quiser. Não é assim que funciona”.

Em resposta automática as acusações, os vereadores rejeitaram um projeto de Santini que estava na pauta do dia,  que previa punições mais rigorosas para quem provocasse danos ao patrimônio público e privado. Santini saiu do plenário da Câmara após seu discurso.

 

Veja o vídeo da TVCamara:

 

O discurso do vereador começa em 1:17:27 seg.

 

 

 

Comentários no Facebook