CAMPINAS – FIEL “ESCUDEIRO” DO PREFEITO JONAS NÃO PODE MAIS ENTRAR NA CAMARA MUNICIPAL

 

 

 

Rodrigo Pavane,  conhecido no meio político como líder informal do governo Jonas esta impedido por tempo indeterminado de entrar nas dependências do plenário da Câmara Municipal de Campinas.

Pavane, que age como um assessor informal  no meio político  defendendo as ações do governo Jonas ficou conhecido pelas várias confusões e tumultos  que se envolveu em dias de votações importantes na câmara municipal da cidade.

A proibição ocorreu porque na reunião de segunda feira (17/09) sob a presidência interina do vereador Antonio Flores(PSB), durante a votação de um requerimento  apresentado pela oposição,  Pavane ameaçou e gritou varias vezes com o vereador da base Vinicius Gratti (PSB) chegando a dar um chacoalhão nele. Gratti estava distraído no momento da votação, o que irritou Pavane.

O requerimento pedia a  convocação do secretário de governo Michel Abrão Ferreira para falar sobre um contrato de comodato firmado entre a prefeitura e a empresa AGV, em cujos termos a oposição vê favorecimento a empresa que inclusive doou para a campanha de Jonas em 2016.

Quem assistiu a reunião ordinária ouviu ao fundo Pavane xingando Gratti  de  palavras bastante desagradáveis, e o ameaçando de agressão quando o vereador saísse dali inclusive.

 

CRITICAS A SEGURANÇA DA CASA

 

Na reunião desta quarta feira (19/09) o vereador Vinicius Gratti tomou a tribuna para criticar o ocorrido e cobrou medidas de segurança. Chegou inclusive a ler os artigos do regimento interno da Câmara que versam sobre a manutenção da ordem interna e o poder de policia  que o regimento dá ao presidente.

Gratti, criticou a forma como o espaço dos assentos credenciados no plenário  tem sido usada, já que, sendo apenas para assessores de vereadores e imprensa, outras pessoas tem usado também. Chegou a sugerir que cada vereador assinasse um termo se responsabilizando pela pessoa que trouxesse para aquele local do plenário. Ainda segundo ele a segurança assistiu inerte a confusão causada por Pavane.

Todos os vereadores se solidarizaram com Gratti, e alguns  também criticaram a ação de Pavane. Alguns disseram que ele  também  em outras oportunidades, teria rasgado a foto oficial da ex-vereadora Marcela Moreira do PSOL e ameaçado o ex-vereador Paulo Búfalo do mesmo partido.

A decisão de barrar a entrada de Pavane foi tomada pela presidência. A Assessoria da Câmara informou a TVRedeTudo  que  em virtude do comportamento repetitivo, sem respeito à urbanidade (em outra ocasião o presidente Rafa Zimbaldi já havia determinado a retirada dele do plenário, inclusive), ele está proibido de adentrar no plenário em reuniões, audiências e eventos ali realizados, por tempo indeterminado.

Veja o vídeo da Câmara:

O tumulto começa em 1:09:40 ao fundo (avance o vídeo)

Comentários no Facebook